5 Atitudes que Libertam

Preciso confessar que tenho uma natureza meio selvagem, que odeia muitas regras, hierarquias e protocolos. Não tinha me dado conta dela até morar por quase 4 anos num país que exala tradições e formalidades – Turquia. E hoje, em homenagem a esse lado mais diaba, farei um top 5 de coisas que me exorcizam pra valer.

  1. Dar fora em gente abusada. Que prazerzinho sádico ver na cara do encosto aquele olhar: oops, mexi com a pessoa errada. A-D-O-R-O. Nem sempre estou nessa vibe papo reto porque, como boa libriana, eu também fujo de conflitos e amo a diplomacia, mas quando a oportunidade surge, eu me esbaldo.
  2. Rebater críticas infundadas/ofensas gratuitas sem descer do salto. Eu tenho uma estratégia: quanto mais barraqueira e descompensada a pessoa é, mais educadamente eu respondo para deixar a sujeita com menos vontade de existir. Quem vem com 5 pedras na mão espera você as devolva para que a pancadaria role solta e ela lave a sua alma encardidinha. E se a sua reação for um tapa com luvas de pelica, o desmonte é certo. Ponho sempre isso em prática respondendo os fakes no Youtube e me divirto horrores.
  3. Eliminar tudo e todos que estão sobrando na minha vida. AMO dar uma geral no armário e nas relações. Para mim, vida saudável é aquela em que eu tenho o mínimo com o máximo de rendimento. No meu universo particular só entram e permanecem os agregadores. Gente que só ocupa espaço eu dispenso sem dor na consciência.
  4. Usar Sim, Não e Talvez com 100% de honestidade – Poucas coisas desgraçam mais as relações do que a falta de transparência. Essa coisa de dizer sim querendo dizer não e vice-versa só gera mal-entendido. Eu sei que nem todo mundo quer ouvir a verdade e que, às vezes, é difícil assumir nossas vontades, mas viver de hipocrisia em nome da boa convivência também não rola. Por isso eu procuro, com jeitinho, ser o mais sincera possível.
  5. Renovar os hobbies, lugares e hábitos – Há momentos que, de tanta monotonia, a vida ganha um ranço insuportável. Então, é hora de abrir todas as cortinas, tirar o pó e mudar a decoração. Muitas pessoas querem novidade, mas vivem cultuando o passado. O novo não chega para quem o deseja, mas para aqueles que o celebram em si mesmos. Por isso ando sempre com a mochila nas costas.

Beijos e até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s