Respeitem Os Ancestrais!

Gosto muito de leituras provocativas, aquelas que vão inaugurando novas rotas de pensamento e convicção, e minando pequenas certezas insolentes que o trato social enxerta em nós.

Por isso ando lendo Jung, Luiz Felipe Pondé, Rubem Alves e Veríssimo (o filho). Por isso prefiro cinema europeu ao americano.

E uma das coisas que aprendi é que o nosso discurso pode até ser contemporâneo, mas a nossa alma é pré-histórica.

Dito de outra forma, não adianta eu achar que vou me compreender apenas com teorias do século XXI e palavras de ordem porque o que se passa aqui dentro é consequência de circunstâncias anteriores ao meu próprio nascimento, pois o homem carrega em seus poros, sangue e pulsões milênios de evolução (e atraso) existencial.

Então, eu leio incessantemente todos os vestígios de consciência à minha volta em forma de livros, filmes, diálogos, encontros e desencontros, porque a vida merece ser vivida com todos os sentidos muito bem apurados sob a coalizão equilibrada dos instintos e da razão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s