Brasa

Um dia conclui o novelo de vida que o outro assume.

E assim, as passadas na terra se imprimem

consequentes

ritmadas.

Goles de fôlego inflando

os pulmões de vigor

Banhos de toques

que assanham

com gelo

areia

e

brasa

Vultos sopros

sonhos e vozes

Derramam

Penetram

Engolem

O

homem

que sente mente e pressente

A flor que lhe afaga

A lâmina que rasga

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s