O Nosso Dia é Todo Dia

PARABÉNS

Mulheres guerreiras que criam seus filhos na luta do amor zeloso e insistente, no “acorda pra ir pra escola”, “vai arrumar seu quarto”, “filho meu não vai ser vagabundo”.

Meninas de raça que mostram pro mundo o quão capazes são de estudar, produzir e liderar o que quer que seja; que entram e saem de universidades, canteiros de obra, empresas, laboratórios com a confiança de quem tem o mérito debaixo do braço.

Sobreviventes das mais variadas indignidades e violências que ainda perseguem, maltratam e matam nossas mulheres neste planeta, que recomeçam apesar das surras, estupros, abandonos e algemas enxertadas pelas cegueiras da religião, da moral e da cultura.

Garotinhas que tiveram sua inocência pisada pelo abuso sexual, o trabalho forçado, a infância roubada e, mesmo assim, seguiram em frente superando os traumas e reescrevendo sua história.

Artistas dos lares, que lavam, passam e alimentam suas famílias com energia e personalidade, ensinando com gestos o gosto e o valor dos afetos, imprimindo em todos os contornos de um lar sólido e acalorado.

Zelosas de tudo que conferem graça e harmonia por onde passam, limpando e arrumando a casa de outras famílias, amando e educando os filhos de outros pais como se fossem suas próprias crias.

Abundantes de virtudes e recursos próprios que de tão poderosas, não precisam usar a vagina como moeda de troca para ter ou ser o que querem; que se doam, de corpo e alma, somente a quem lhes merece e agradam; que se amam, protegem e respeitam acima de tudo e todos.

PARABÉNS

Heroínas de alma e estrada

Continuem sempre em frente

Sendo rainhas de si mesmas

E sem baixar a cabeça

Senão a coroa cai!

Se avexe não
Não chore
Nem se demore nesta dor
Porque acalanto do seu coração
Está vindo e é tão lindo
Quanto esta canção

Não que eu lhe deva dizer
Como é que se deve sofrer
Chore se quiser chorar
Corra se quiser correr
Mas saiba que amor quando é dor
Mais pra dor do que amor vou dizer
Não vale o seu desgastar
Já que há tanto pra se viver

Tem dia que é ruim de vingar
Tem noite que eu quero morrer
Eu sei que é difícil aturar
Mais fácil deixar adoecer
Mas a gente nem pode optar
E simplesmente poder padecer
Já que a noite eu tenho que cantar
Pra alegrar o povo e entreter

Só sorrir quando quero chorar
Isso não foi difícil aprender
Mas desaprendo pra algo mudar
E assim eu me fortalecer

Me permito desmoronar
Desabar todo de entristecer
Pra que seja possível curar
Me amar e me prevalecer
Pra quando um amor chegar
Enxergar e não desfalecer
Sem alguns dos seres desfrutar
De uma fonte de um belo querer

Não
Então chore e se demore
Se preciso for seja o acalanto do seu coração
Que é tão lindo
Bem mais lindo do que esta canção

Se avexe não
Se avexe não

Se quiser
Se quiser chore
Então, chore
Se quiser chore
Então, chore

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s