Tudo Passa

Quase dois anos de silêncios diários

Quase dois anos aprendendo a rir das minhas tagarelices esquizofrênicas e ressentidas.

Não, meditar não lhe torna a reencarnação de Buda ou Jesus Cristo, não extirpa magicamente de você toda sujeira, dor, incongruência e vícios inerentes à nossa espécie.

O silêncio apenas

reflete, expande, projeta.

Ele nos dá uma boa dimensão da nossa pequenez e fragilidade, arrastando-nos para o centro dos nossos próprios tremores, provando, de uma vez por todas, que o demônio do mundo está DENTRO de cada um de nós, sem uma única exceção.

E é justamente por isso que a maioria se dopa

com trabalho, sexo, companhias, casamento, filhos, diplomas, viagens

(e não simplesmente com drogas ilícitas)

Mas o silêncio também cura à medida que nos rendemos a ele e às suas revelações.

Ele também fortalece, apazigua, edifica

Acentuando

todas as nossas fragrâncias e riquezas interiores

Desabrochando

a exuberância da nossa unicidade e benevolência.

E com ele constatamos que TUDO passa o tempo todo e que, portanto, ser muito afetado pelo bem e o mal que nos transpassa é pura bobagem.

Um dia

fomos um grão de areia, depois um embrião, um feto, um bebê.

Passamos pela infância, adolescência;

alguns já atingiram a maturidade, outros se encaminham para o fim da vida;

e quem nós somos afinal?

Qual forma é a definitiva se da primeira ultrassonografia até os dias de hoje a única permanência foi que nos tornamos sempre outros e outros e outros?

Quem somos de fato?

Não somos NADA!

Não somos NINGUÉM!

Apenas ESTAMOS

num processo finito e insistente de vir a ser

nascendo para um ciclo, morrendo para outros

Apenas ESTAMOS

viventes, caminhantes, inseridos

nesta Existência

terminantemente cíclica e mágica

que se chama

ETERNIDADE

Paciência – Lenine

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida é tão rara

Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência
E o mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência

Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (Tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para (a vida não para não)

Será que é tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida é tão rara (a vida não para não… a vida não para)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s