Homens – Os tipos mais bizarros

O competidor – Long, long time ago, alguém lhe disse que ele é o cara e que a vida é uma versão estendida do desenho Corrida Maluca. A criatura acreditou, agarrou-se à crença e vive para reafirmar seu delírio através dos outros. Enxerga as relações como um jogo de poder em que ele, é claro, tem que estar sempre por cima nem que para isso precise desqualificar, contar vantagens mentirosas, encobrir seus erros ou prejudicar quem lhe pareça uma ameaça.

Dica do bem: Que tal olhar a si e os outros sem desnível nem comparação? Apenas presença humana diante de outra presença humana. Olho no olho e respeito mútuo fazem milagres que manipulação nenhuma jamais fará.

O paquiderme – Com sua tosquice pré-histórica, só falta babar em cima das mulheres, sempre encharcado de obscenidades. Alheio à educação e empatia, não hesita em constranger ou coagir sua presa. Acha que pode tudo só porque nasceu com um pinto. Marca presença ferrenha principalmente em boates, festas de rua, metrô lotado e qualquer lugar que facilite o assédio.

Dica do bem: A coleguinha (ou o coleguinha) NÃO é seu Tamagotchi. Portanto, ao interagir, pergunte, peça licença, negociei. E bem acima do pênis existe um cérebro com bilhões de neurônios. Se você usá-los, tudo ficará mais fácil.

O colecionador – Não sabe apreciar, apenas acumula. Para ele a vida se resume ao seu cercadinho repleto de aquisições, no qual uma mulher é apenas mais um troféu, juntamente com filhos, amigos, carro, perfil no Instagram… Ele não conquista uma companheira, ele a compra. Vive para ostentar e causar inveja.

Dica do bem: Dinheiro compra coisas, serviços e prazeres sociais (inclusive companhia e sexo), mas se por acaso você for assim como o resto da humanidade que depende de afetos sinceros, cumplicidade e confiança para se sentir emocionalmente nutrido, melhor mesmo é se abrir para o corpo a corpo com os coleguinhas sem usar a conta bancária como moeda de troca.

O ditador – O seu hobby é dominar e para isso procura se envolver com mulheres inseguras e dependentes. Sob o pretexto de proteger e agradar, quer decidir tudo por ela. Não suporta uma companheira autônoma e consciente, quer uma súdita que lhe obedeça e venere. Se a parceira for melhor que ele em algo, é guerra na certa.

Dica do bem: Poderoso mesmo é conhecer-se e gerir-se da melhor forma possível, com muito afeto e humildade. Enquanto você tiraniza os outros, quem está vivendo a SUA vida?

O caridoso – O bonitão é tão incrível, tão estonteante que em sua cabeça, ele faz um favor ao deixar que uma reles mortal desfrute de sua presença e maravilhas anatômicas. Tudo gira em torno dele e de suas façanhas. A mulher não passa de plateia. Se pudesse, transava e casava consigo mesmo, já que não há, em toda a extensão do globo terrestre, uma pessoa à atura.

Dica do bem: Você é único exatamente como todo o resto da humanidade. Melhor desmontar o circo e tirar a purpurina.

 Obviamente que esses perfis também se aplicam à mulherada. Mas como eu nunca havia dedicado um post às neuroses masculinas, achei justa a homenagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s