Com a casa nas costas

Já me corroeu perceber que em parte alguma há um lar derradeiro; aquele que me conteria com autoridade e esperança na infinitude.   Mas será que minhas noções de pertencimento podem ser assim tão convictas? Se eu arranhar o topo dos afetos físicos e sutis que sinto a ponto de expô-los e revirá-los, o que... Continuar Lendo →

Que cabelo é esse?!

"Agora prepare-se para as hostilidades, menina" Foi o que eu disse à mim mesma depois de tosar a juba meio crespa, meio alisada. Até entrar em transição, eu nunca tinha parado para analisar essa peculiaridade da cultura brasileira: O cabelo que cresce cacheado ou crespo na cabeça de uma enorme parcela das brasileiras é adestrado... Continuar Lendo →

E o livro sai quando?

Escrever em si é simples, principalmente, para quem faz disso um hábito há pelo menos duas décadas. Mas pelo que escrever? Que rumo e gosto dar às sucessivas correntes que me cortam? E que propósito agregar a essa vocação? Aliás, vale a pena ter uma finalidade clara e prática para minhas subjetividades? Ou seria melhor... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑