Não é só cabelo

Como teve coragem de cortar o cabelo tão pequeno?”

Pesquisando bastante no YouTube, seguindo meninas sensatas que já tinham passado pela transição e respeitando o meu próprio tempo.

“Deve dar um baita trabalho cuidar de um cabelo cacheado assim, né?” 

De jeito nenhum. Só tive que ter um pouco de paciência pra descobrir do que ele gosta/precisa em termos de shampoo, hidratação e óleos.

“Você já sofreu discriminação?” Não que eu tenha notado, mas alguns olhares curiosos e insistentes sim, principalmente quando estou de turbante.

Se arrependeu?

Nem por um milésimo de segundo!

Não faço nem farei militância contra as alisadas ou relaxadas porque acho isso uma falta de respeito e um certo jeito cafona de tirania.

Mas deixar que meu cabelo cresça à sua maneira é um decidir me sentir bela na minha própria etnia;

Um dar de ombros para o que não me é naturalmente pulsante e que por isso agride minha SOBERANIA! Continuar lendo