São Paulo – Primeiras Impressões de Uma Carioca

Perto de completar 3 meses morando em Sampa, acho que já posso enumerar algumas observações um tanto consistentes sobre esta terra do corre e corre.

Infelizmente, eu não zanzei o quanto gostaria, mas mesmo assim, tenho os meus pitacos.

  1. Nomes de ruas e avenidas – Aqui é comum uma rua ter um nome até certa altura e de repente ganhar outro mesmo sem ter mudado de bairro. Já passei uns perrengues por isso e ainda não saquei a lógica da coisa.
  2. No Rio, para descer todo santo ajuda. Aqui parece que é o contrário. O que vejo de escada rolante para descer e escada comum para subir não está no gibi. Acho que os santos de São Paulo querem que a gente vença o sedentarismo.
  3. Paulistas não conhecem a palavra meio-fio. Para eles calçada já está de bom tamanho. Daí eu explico que meio-fio é a bordinha da rua e não por onde a gente caminha e ficamos entendidos.
  4. Definitivamente, São Paulo tem uma relação bem mais próxima com as línguas tupi e guarani. Os nomes de alguns bairros e ruas são tão exóticos para mim que alguns eu nem consigo pronunciar de primeira.
  5. Paulistas têm obsessão com a palavra vila. Existem pelo menos uns 357 bairros que começam por esse nome. Isso me lembra à Turquia, onde o costume é igual. Köy está por toda a parte. Kadikoy, Yesilkoy, Erenkoy, Bakirkoy…. Isso só em Istambul.

E eu vou parando por aqui porque não consegui lembrar de mais curiosidades e porque fazer um top 5 é legal.

Beijão!