O Medo de Desagradar é Uma Merda

Uma estrelinha atrapalha mais que 10 malucos. A postura agoniante de querer agradar e ser aceito por todos sem critério infesta tudo de hipocrisia e criancices.

Gente grande sabe que não existe unanimidade e, dependendo da inimizade atraída, encara isso como um elogio. Mas o mostrengo complexado que nos habita é irredutível. Ele tem fome de fãs, curtidas, aplausos e tapinhas nas costas. E mesmo que colecione 100 “concordo contigo”, passa o dia inteiro ruminando um único “você está errado” ou “eu penso diferente”.

Pra que tudo isso? Por que somos tão fominhas?

Será que Freud explica?

Ninguém precisa (nem deve) se submeter a qualquer tratamento ofensivo ou difamatório. Mas na vida temos duas opções:

viver no mundo dos adultos e aprender a lidar com suas pedras e flores

ou atrofiar no cubículo do narcisismo abrindo a porta apenas para quem fomenta a nossa vaidade.

As pessoas mais autênticas e revolucionárias que andaram sobre a Terra seguiram seus sonhos e verdades a despeito do efeito manada e da hostilidade dos ressentidos. Pagaram o preço, correram os riscos e por isso conseguiram deixar um legado maior que a sua própria finitude.

Esse é o peso, e o prêmio, da originalidade, o destino dos que ousam ser mais que um acúmulo de matéria e pó.